Nova marca de móveis aposta em Design assinado

Arti convidou cinco designers renomados internacionalmente para criar suas peças

A Arti, uma nova marca de mobiliário com design 100% assinado, chega ao mercado brasileiro apostando na diversidade e originalidade de profissionais renomados. A coleção de mobiliário está sendo apresentada na High Design, feira que acontece durante o Design Weekend, em São Paulo.

Com fábrica em São Marcos (RS), a Arti aposta em materiais nobres e em designers reconhecidos internacionalmente, além de peças com muita personalidade e esmero artesanal atrelado ao processo industrial.

Segundo a diretora da Arti, Genaíne Rizzon, a marca surgiu da necessidade de aliar a expertise com a madeira a uma nova visão, mais contemporânea, sem perder a essência artesanal e o uso de materiais nobres. “Escolhemos designers brasileiros e italianos que possuem familiaridade com a empresa, que foi criada por imigrantes da Itália que fincaram raízes no Brasil”, explica Genaíne.

Para criar as peças, a Arti convidou 5 designers renomados internacionalmente: Ronald Sasson, Juliana Vasconcelos, Gustavo Martini, Marco Guazzini e Giorgio Bonaguro, que formam o grande time de profissionais que vão dar identidade à marca. Foram experiencias diversas vivenciadas com os designers, alguns deles ainda não tinham trabalhado com materiais brasileiros.

Os designers tiveram total liberdade de trabalho e criaram peças repletas de personalidade, com valorização da matéria-prima nacional. O uso de três tons de madeira (freijó, jequitibá e tauari), além do couro, palha natural e tecidos nobres, enriquecem cada item da coleção com toque brasileiro.

Com unidade fabril própria, a Arti tem em suas instalações a mistura de maquinário altamente tecnológico e o esmero dos modos tradicionais de acabamento e finalização das peças.

São diversas as criações do time de designers, que se inspiraram em diversos temas. A mesa Trevo, de Giorgio Bonaguro, foi inspirada no trevo de quatro folhas e produzida em freijó; já a poltrona Caymmi, de Ronald Sasson, faz uma releitura do mobiliário dos anos 50, com um desenho orgânico em sua estrutura. O buffet Meno, de Gustavo Martini, brinca com as formas, tendo o bloco principal recortado por uma esfera em sua profundidade.

Conheça os designers e as peças da coleção:

Gustavo Martini

Nascido no Rio de Janeiro e atualmente vivendo em Milão, Gustavo Martini nasceu em 1987, se formou em Desenho Industrial pela PUC-Rio e fez Mestrado no Instituto Marangoni. Recentemente, foi premiado como Designer da Nova Geração do Ano pela Wallpaper e pela Officine Panerai. Seu interesse pelas artes começou em uma idade jovem com desenhos, pinturas e brinquedos de construção que naturalmente se tornou sua profissão. Como ele passou a maior parte de sua vida no Rio, tem um forte sentido de conexão com a cidade que ele acredita que combina dois mundos contrastantes.

Cadeira Canvas – A cadeira Canvas tem como destaque um painel contínuo de palhinha natural, que vai do encosto até a base, formando um aspecto gráfico inusitado. O designer explora o recurso tradicional, o trançado, de uma maneira fluida e contemporânea.

Buffet Meno – O buffet Meno é composto por duas peças, sendo o bloco principal recortado por uma esfera de modo a criar um compartimento. Meno nasce da ideia de uma geometria subtraída por outra para, criando um novo objeto/função. Já a parte em metal percorre toda a peça, dando a impressão de flutuar quando atravessa o vazio criado pelo côncavo.

 

Ronald Sasson

Nascido em Curitiba em 1967, mora atualmente em Gramado, Rio Grande do Sul. É designer e artista plástico, tem na pureza de detalhes a sua fonte de inspiração. Trabalha sempre com peças de edição limitada, projetos com estilo industrial e com muita força autoral. Já ganhou mais de 25 prêmios, entre eles, o IF Design Award, o Good Design Award, o A’ Design Award, Brasil Design Award, German Design Award, entre tantos outros. Para a criação das peças para a Arti, Ronald estudou o conceito de eternidade da madeira e do respeito ao traço com força de permanência e atemporalidade.

Poltrona Cast – Em uma leitura simples e feminina tanto nos materiais como nos traços, a poltrona tem uma forma de concha em couro sola de alta espessura, que se apoia em uma base de freijó maciço. Ergonomia e design em uma peça contemporânea e elegante.

Poltrona Caymmi – Inspirada no estilo moderno dos anos 50, a peça tem balanço de couro apoiado em duas pontas, um desenho característico de época que ganhou um redesenho orgânico na estrutura, ganhando toque contemporâneo.

Poltrona Berimbau – Esta poltrona tem os traços típicos das peças criadas nos anos 60, com a leitura de plano alto e coluna esguia. Os braços se impõem sobre a forma, dando identidade única ao móvel.

 

Marco Guazzini

Nascido em Florença, na Itália, Marco Guazzini é designer industrial, de móveis e objetos. Fundador da Marwoolus, sua filosofia de trabalho é focada na conexão sensorial. Para ele, o design é uma maneira de recuperar nossas experiências processadas e seu objetivo é criar objetos que sejam funcionais e capazes de gerar emoções para seus usuários e dentro de seu habitat. Funcionalidade é a solução para um problema e uma forma é a conseqüência para a funcionalidade. A escolha dos materiais de cada peça, é feita para melhor expressar a funcionalidade tanto de maneira física quanto tátil. A cor torna-se um símbolo da mensagem que um determinado produto pretende comunicar. As proporções estão relacionadas à interação com o corpo humano e a estética é o equilíbrio de todos esses elementos.

Mesa e Estante Edge – caracterizadas por suas estruturas lineares, todos os elementos e bordas das peças, disponíveis em duas dimensões, criam um efeito visual de luz e sombra. Inspiradas no mundo metafísico das pinturas de Giorgio De Chirico, retratam a vista em perspectiva da colunata na Piazza d’Italia gerando a oportunidade de criar um elemento construtivo que pode caracterizar toda a coleção: a placa de madeira de seção quadrada, posicionada em um ângulo. A borda frontal define claramente a silhueta dos produtos e destaca a materialidade da madeira investida pela luz de um lado e a sombra do outro por diferentes ângulos. Uma visão tridimensional do produto que, como no caso da estante de livros, enquadra os objetos colocados nele.

 

Giorgio Bonaguro

O italiano Giorgio Bonaguro estudou Engenharia Mecânica em Modena e fez mestrado em Design Industrial e Design de Interiores na Scuola Politecnica di Design SPD em Milão, na Itália. Trabalhou em diversos estúdios de design e arquitetura, entre eles, do famoso Michele De Lucchi, onde fez parte do departamento de protótipos. Com traço elegante e de linhas simples, Bonaguro está sempre em busca da melhor combinação entre seu estilo e novos materiais

Mesas Trevo – Nos desenhos criados para a Arti, o profissional buscou inspiração na natureza e suas formas. A família de mesas “Trevo” faz referência à planta de quatro folhas e reproduz seu formato simples e orgânico. O freijó natural, madeira nobre tipicamente brasileira, compõe as peças e reforça o conceito vivo dos produtos. Com design sofisticado, as mesas combinam a força da madeira à delicadeza das folhas. Nas versões lateral e de centro, e nas cores madeira natural, preto e vermelho, são elementos complementares e podem ser utilizados de diferentes formas e estilos.

 

Juliana Vasconcellos

Natural de Belo Horizonte, Minas Gerais, Juliana de Lima Vasconcellos é graduada em arquitetura e urbanismo pela UFMG e especializada em Gestão de Empreendimentos em Arquitetura pela IEC PUC Minas. Com escritório próprio de arquitetura desde 2004, Juliana descobriu na execução de seus projetos arquitetônicos e de interiores sua paixão pelo desenho de produtos. Já morou em Nova York, Londres e Barcelona, e hoje se divide entre sua cidade natal, São Paulo e Rio de Janeiro. Seu estilo marcante e atemporal resulta em desenhos de formas simples e sofisticadas, sempre aliados às necessidades e particularidades de cada trabalho. A escolha da matéria-prima também é prioridade em seus produtos, utiliza materiais autênticos e, por vezes, inusitados, o que confere identidade e alma às peças criadas.

Mesas e cadeira Girafa – De curvas suaves e linhas alongadas e volumosas, as peças foram inspiradas nas formas da Girafa. A utilização da madeira maciça e suas infinitas possibilidades, viabilizou a criação de formas delicadas e elegantes que, ao mesmo tempo, se fazem únicas e aconchegantes pela sua textura. As mesas de jantar e de centro destacam formas arredondadas e revelam bordas volumosas através dos pés curvos encaixados nas extremidades do tampo. A cadeira de jantar é formada por poucos elementos e possui estrutura de três apoios, configuração diferente do formato tradicional. O estofado faz uma fusão entre linhas, formas e volume, proporcionando maior conforto e ergonomia às peças.

Fonte: Portal Móveis de Valor