CASA DE TEREZA: O SABOR ENCANTADO DA BAHIA

Tereza Paim exibe baianidade com o Tabuleiro da Chef,  sua linha de produtos premium artesanais, recheado por farofas,  pimentas, cachaça, cocadas e temperos naturais, já espalhados pelo Brasil e que podem ser vistos ou adquiridos em www.loja.tabuleirodachef.com.br ou @tabuleirodachef.


QUANDO VOCÊ DESPERTOU PARA A GASTRONOMIA COMO PROFISSÃO?

Tinha um importante cargo na área de TI de uma grande empresa de telecomunicações. Daí, troquei um trabalho certo e consolidado pela culinária. Nunca sonhei em ser cozinheira, já que a gente não era estimulada a isso. Pensava em vir para a capital e ser advogada, médica, engenheira… Tinha essa “missão” predeterminada de quem sai do interior e vem para a capital: virar “doutora””. Vim de Tanquinho, a 155km de Salvador, para a capital aos 13 anos, e me formei aos 21 em Ciências da Computação, onde trabalhei por 20 anos até largar tudo e me dedicar exclusivamente a cozinha.

Diziam que o mundo ia se acabar no ano 2000, mas como não acabou, resolvi mudar minha vida (risos). Busquei fazer cursos e me especializar. Como já cozinhava, foi mais fácil dominar o que aprendia, ainda mais atuando com planejamento e implantação de grandes estruturas de tecnologia. Carreira você não perde, edifica. Não importa o caminho que você siga, se planejou e estudou, consegue. E cozinha é uma arte com muita ciência e muita tecnologia associada. Rodei o mundo para estudar culinária: Madri, Portugal… e me inspirou em chefs como a mineira Mônica Rangel e o português Vitor Sobral.

Encontrei no chef francês Laurent Suaudeau um grande mestre. Ele é um chef muito técnico, que me ajudou muito quando comecei a fazer grandes eventos. Fui aprender tudo isso porque ia abrir um restaurante de comida baiana na Bahia, um restaurante muito chique, muito bacana, que foi sempre minha vontade. Abri meu primeiro restaurante, o Terreiro Bahia, na Praia do Forte, em 2002, depois de uns anos fechei e hoje em dia completo 10 anos com o Restaurante Casa de Tereza, no Rio Vermelho, neste mês de setembro, a Casa Bohemia – Boteco da TêTê, também no Rio Vermelho, os restaurantes Mesa de Tereza, nos aeroportos de Salvador e Fortaleza, o Tabuleiro da Chef… Não paro e o tempo é agora!

QUAL A SUA INSPIRAÇÃO E PESQUISA NO MOMENTO DE CRIAR UMA NOVA RECEITA?

Eu sou muito estudiosa e criteriosa em tudo o que eu faço. É por isso que tem dado certo. Criar é um processo transformador, é trazer história cultural e gastronômica para deliciosas receitas, é pura conexão!

QUAL O CONCEITO QUE IMPRIME EM SUAS CRIAÇÕES?

Imprimo o conceito de comida gostosa, cheirosa, afinal primeiro se come com o nariz e os olhos!

O SABOR DE TEREZA, O QUE MAIS LHE ENCANTA?

A autenticidade dos ingredientes e também, claro, a afetividade que você imprime.

O QUE VOCÊ LEVA DA BAHIA PARA O MUNDO E O QUE O MUNDO TRAZ PARA SUAS CRIAÇÕES?

A Bahia está sempre comigo e eu levo este DNA tão forte, que não sai de mim, para o mundo. Eu costumo mostrar a riqueza de nossa gastronomia e suas peculiaridades. Ah, o mundo me devolve a experiência, e quando junto aos sabores e saberes, está tudo certo.

TEREZA POR TEREZA… QUEM É A PROFISSIONAL?

Uma profissional inquieta, que não para de aprender e empreender e que deseja realizar muitas coisas dentro da gastronomia.

TEREZA POR TEREZA… QUEM É A MULHER?

Estou sempre em processo de melhoria, de mudança e transformação. Sou uma pessoa feliz, sempre fui!

SAIBA MAIS

Tereza Paim – embaixadora da gastronomia brasileira e baiana com um universo multicultural em sua trajetória – é uma chef que exibe energia e inquietude em cada movimento. O gosto pela culinária a levou aos cursos e especializações em cozinhas no Brasil e Europa. Atualmente comanda os restaurantes: o Casa de Tereza, no bairro do Rio Vermelho, eleito no ranking da EXAME Casual um dos melhores restaurantes do Brasil, em 2022, e o Mesa de Tereza, nos Aeroportos de Salvador e Fortaleza. A chef ainda desenvolve seu trabalho com premissa de uma vida sustentável, tratando seu lixo todo com destinação ambientalmente correta. Conta hoje com uma cadeia de 22 fornecedores diretos, todos pequenos produtores. Além disso, o restaurante Casa de Tereza utiliza de 100% de energia limpa, proveniente de sua própria usina fotovoltaica, Maria Tereza.

Tereza Paim exibe baianidade com o Tabuleiro da Chef,  sua linha de produtos premium artesanais, recheado por farofas,  pimentas, cachaça, cocadas e temperos naturais, já espalhados pelo Brasil e que podem ser vistos ou adquiridos em www.loja.tabuleirodachef.com.br ou @tabuleirodachef.

A chef também é autora do livro de receitas Na Mesa da Baiana e co-autora de outros vários livros da cozinha Brasileira.

Multifacetada, a chef é colunista de gastronomia na Revista Let´s Go Bahia e na rádio GFM, na capital baiana, com podcasts cheios de sabores e saberes. Em 2020, a chef representou o Brasil na série Street Food América, da Netflix, episódio Brasil. Tereza Paim é curadora dos festivais gastronômicos Tempero no Forte, em Praia do Forte, e Tempero Bahia, em Salvador.

OS SEGREDOS DA CHEF

MOQUECA DE CAMARÃO

Ingredientes:

  • 800 g de filé de camarão limpo (sem cascas, sem cabeça, só o filé)
  • 3 pimentas-doces (dedo-de-moça) picadinhas
  • 1/2 pimentão vermelho pequeno cortado em rodelas, sem as sementes
  • 2 cebolas médias cortadas em rodelas
  • 2 tomates grandes cortados em rodelas
  • 1 maço pequeno de coentro picado
  • 1 maço pequeno de cebolinha picada
  • 500 ml de caldo de camarão
  • 3 dentes de alho amassados
  • 300 ml de leite de coco
  • 90 ml de azeite de dendê
  • Sal a gosto
  • 3 ramos de coentro e 1 pimenta doce (dedo-de-moça) para decorar

Modo de preparo:

Lave os camarões em água gelada e reserve. Em seguida, em uma panela de barro, leve os temperos ao fogo alto, com o caldo concentrado de camarão, e deixe cozinhar até que fiquem macios. Adicione o leite de coco e o dendê e mexa bem para misturar. Inclua os camarões, previamente temperados com sal, alho e a pimenta doce picadinha. Cozinhe por 5 minutos e sirva a moqueca ainda borbulhando, decorada com os ramos de coentros e uma pimenta inteira por cima.

Dica: além dos camarões, a moqueca pode ser preparada com peixes em postas ou cubos e outros frutos do mar, de mariscos a lagostins. Se não gostar de coentro, use apenas a salsinha.

Serviço: @casadetereza_