SILOS DE MOAGEM DE TRIGO VÃO VIRAR APARTAMENTOS NO RECIFE ANTIGO

Construtora Moura Dubeux vai transformar os espaços do antigo Moinho Recife em dois residenciais 

Quem já pensou um dia morar em um antigo silo de trigo? O que parecia impensável vai ser tornar realidade no Recife. Os antigos silos do Moinho Recife, construídos em 1914, vão se transformar em dois residenciais. A proposta, única em Pernambuco, é fazer o retrofit do imóvel e levar para o Bairro do Recife o primeiro empreendimento de moradia de alta qualidade. Para transformar o passado em futuro, a construtora Moura Dubeux vai investir R$ 70 milhões. Os empreendimentos, silos 215 e 240, integram o Moinho Recife Business & Life, da Revitalis, que será um amplo complexo imobiliário que vai reunir espaços de convivência, comércio, moradia, serviços e lazer.

“O projeto dos residenciais remete a um conceito de transformação, será uma releitura do bairro central da Ilha do Recife com moradias, lojas, estacionamento, trazendo mais vida para a região e certamente um indutor de uma total mudança para a área central da cidade”, afirma Diego Villar, CEO da Moura Dubeux.  Da área total do projeto, 10 mil m² serão de construção residencial, que terão obras iniciadas ainda em 2021 – período que deve gerar 120 empregos diretos e indiretos – e entrega prevista após três anos.

“É um empreendimento que vai atender pessoas que trabalham ou têm uma relação com o Bairro do Recife. Teremos uma ampla gama de interessados, clientes que desejam morar na região central do Recife com todo o serviço que o empreendimento dispõe, e investidores que buscam rentabilidade através de locação”, afirma o diretor da Moura Dubeux, Homero Moutinho, que adianta a parceria com a Housi, especializada em gestão e locação digital de apartamentos, para as pessoas que buscam rentabilidade imobiliária.

Com os residenciais, que têm a formação de um grupo no regime de condomínio fechado, Valor Geral de Vendas (VGV) de R$ 70 milhões e valor médio de R$ 7 mil por metro quadrado, a construtora esperar obter 100% de adesão em até 30 dias. O lançamento do Silo 240 e Silo 215 marca também o primeiro projeto de transformação imobiliária, retrofit, realizado pela Moura Dubeux em Pernambuco.

Nesta modalidade, as características originais dos imóveis são preservadas, mas a estrutura e instalações são totalmente revitalizadas e atualizadas. “Vamos trazer elementos atuais, mas sem renunciar à preservação da memória e história do lugar, garantindo a harmonia arquitetônica do bairro”, explica. A atuação da Moura Dubeux e Revitalis vai contemplar também melhorias urbanas, com revitalização e urbanismo do entorno.

PROJETO INOVADOR

Ao todo são 253 unidades, sendo 2 lojas e 251 unidades residenciais tipo studio, de 1 quarto e 2 quartos, com metragens que variam de 19,9 m² a 68 m², todos com cozinha e banheiro. O projeto é assinado pelo arquiteto Bruno Ferraz e considera o perfil do público que deve residir no lugar. Por isso, a aposta em tecnologia, que vai desde a disponibilidade de internet veloz nos espaços comuns a fechaduras digitais, aquecimento na piscina e controle de acesso.

A escolha dos nomes do empreendimento reforça a identificação com o endereço onde serão construídos no Bairro do Recife. A ideia é manter a identidade do local. O Silo 240 terá 8 pavimentos tipo e o Silo 215, um total de 11.

“Esse é um produto que faltava no mercado imobiliário do Recife. É um projeto inovador, tanto pelo retrofit do antigo moinho, como por tudo que está sendo embarcado nele e, principalmente, pela sua localização na cidade”, explica Moutinho.

Os dois empreendimentos terão um rooftop, com uma passarela interligando os edifícios, para oferecer aos moradores área de lazer e serviços, como piscina com borda infinita, bares de apoio, terraço coberto e descoberto, salão de festas, lavanderia, fitness center, entre outros espaços de uso comum. Além disso, o Silo 215 terá, no térreo, duas lojas comerciais. Um total de 124 vagas do edifício garagem do Moinho serão exclusivas para os moradores dos edifícios.

INVESTIMENTO

Com foco na experiência e no atendimento eficiente às novas demandas, os clientes que investirem em unidades do empreendimento poderão optar pela parceria com a Housi. Ela atuará como uma plataforma de gestão patrimonial eficiente, proporcionando rentabilidade e tranquilidade ao proprietário, será responsável pela solução de qualquer problema relacionado à manutenção e limpeza, entre outras questões do dia a dia e, além disso, disponibiliza apartamentos decorados e mobiliados, possui plataforma de gestão de pagamento de contas do imóvel.

Para os locatários, ela atua como um serviço de desburocratização de locação residencial. O interessado em alugar uma casa, seja por um dia, uma semana ou até um ano, basta acessar o site da Housi, selecionar o imóvel, o período de estadia, realizar o pagamento via cartão de crédito. Todos os apartamentos administrados por ela estão disponíveis para locação digitalmente e sem a necessidade de corretor ou fiador.

BAIRRO DO RECIFE

Localizada no Centro da capital, o bairro do Recife integra a área histórica da cidade. Era lá, por meio do Porto do Recife, que chegavam e saíam mercadorias fundamentais para a economia de Pernambuco e, posteriormente, para embarque e desembarque de pessoas. A partir do impulsionamento das atividades do equipamento, a região foi sendo desenvolvida, com a construção de armazéns, comércios e sobrados, e chegou a sediar a Bolsa de Valores.

Atualmente, apesar de o Porto do Recife não deter mais as operações, o Bairro do Recife vem vivenciando um processo de reocupação e valorização de seus espaços públicos e privados para lazer e passeios, especialmente nos finais de semana. Por lá, estão equipamentos culturais, como o Paço do Frevo, Centro de Artesanato, Cais do Sertão, restaurantes e empresas de diversos segmentos, como o Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife (CESAR). Outro destaque e um dos principais propulsores do Bairro do Recife é o Porto Digital, parque tecnológico que possui atualmente mais de 10 mil funcionários e abarca mais de 300 empresas, com expectativa de dobrar esse quantitativo até 2025.